V. Deus, vinde em nosso auxílio.
R. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.

Glória ao Pai e ao Filho
e ao Espírito Santo,
como era no princípio,
agora e sempre. Amen.

HINO

Vós que sois senhor do tempo,
Deus fiel e sem mudança,
Morre o dia, vem a noite:
Guardai-nos todos unidos.

Concedei vida sem fim
E uma velhice sem trevas.
No dia da vossa vinda
Brilhe em nós a eterna glória.

Ouvi-nos, Omnipotente,
Por Jesus, Filho unigénito,
Que reina com o Santo Espírito
Agora e por todo o sempre.

SALMODIA

Ant. 1 Quero seguir sempre os vossos mandamentos, porque neles me destes a vida.

Salmo 118 (119), 89-96
Elogio da lei divina

Dou­vos um mandamento novo:
Amai­-vos uns aos outros como Eu vos amei (Jo 13, 34).

Senhor, a vossa palavra permanece eternamente, *
imutável como os céus.
A vossa fidelidade mantém-se de geração em geração, *
como a terra que formastes e permanece.

Pela vossa vontade perduram as coisas até este dia, *
porque todas elas Vos estão sujeitas.
Se a vossa lei não fizesse as minhas delícias, *
teria já perecido na minha aflição.

Jamais esquecerei os vossos decretos, *
porque neles me tendes dado a vida.
A Vós pertenço, sede o meu auxílio, *
porque sempre quis seguir os vossos preceitos.

Os pecadores esforçam-se por me perder, *
enquanto eu medito nas vossas ordens.
Em todas as coisas perfeitas descubro limites, *
mas a vossa lei é grande, sem medida.

Ant. Quero seguir sempre os vossos mandamentos, porque neles me destes a vida.

Ant. 2 Senhor, sois a minha esperança desde a juventude.

Salmo 70 (71)
O Senhor é a minha esperança

Alegres na esperança, pacientes na tribulação (Rom 12, 12).

  I

Em Vós, Senhor, me refugio, *
jamais serei confundido.
Pela vossa justiça, defendei-me e salvai-me, *
prestai ouvidos e libertai-me.

Sede para mim um refúgio seguro, *
a fortaleza da minha salvação.
Vós sois a minha defesa e o meu refúgio. *
Meu Deus, salvai-me do pecador, †
do homem iníquo e violento.

Sois Vós, Senhor, a minha esperança, *
a minha confiança desde a juventude.
Desde o nascimento Vós me sustentais, †
desde o seio materno sois o meu protector: *
em Vós está sempre a minha esperança.

Fui objecto de admiração para muitos, *
porque Vós sois o meu seguro refúgio.
A minha boca está cheia do vosso louvor, *
cantando continuamente a vossa glória.

Não me rejeiteis na minha velhice, *
não me abandoneis quando me faltarem as forças.
Porque falam de mim os meus inimigos *
e se unem para conspirar os que espiam os meus passos.

«Deus abandonou-o, dizem eles, persegui-o e prendei-o. *
Não há quem o salve».
Não Vos afasteis de mim, ó Deus, *
apressai-Vos a socorrer-me.

Desapareçam, cobertos de vergonha, *
os que atentam contra a minha vida,
e cubram-se de ignomínia e confusão *
os que procuram a minha ruína.

Ant. Senhor, sois a minha esperança desde a juventude.

Ant. 3 No tempo da minha velhice, não me abandoneis, Senhor.

II

Eu, porém, hei-de esperar sempre *
e multiplicarei os vossos louvores.
A minha boca proclamará a vossa justiça, *
dia após dia a vossa infinita salvação.

Meu Deus, hei-de narrar os vossos feitos grandiosos, *
recordarei, Senhor, a vossa justiça sem igual.
Desde a juventude, ó Deus, Vós me ensinastes *
e até hoje anunciei sempre os vossos prodígios.

Mesmo na velhice e cheio de cabelos brancos, *
não me abandoneis, ó Deus,
até que anuncie a esta geração o vosso poder *
e às gerações futuras a vossa graça.

Meu Deus, a vossa justiça *
eleva-se ao mais alto dos céus.
Vós fizestes tão grandes coisas: *
Quem como Vós, meu Deus?

Vós me fizestes sofrer tantos e tão grandes males, *
mas de novo me dareis a vida †
e dos abismos da terra de novo me fareis subir.
Aumentareis a minha grandeza *
e de novo me consolareis.

Eu louvarei com a harpa a vossa fidelidade, *
cantar-Vos-ei ao som da cítara, ó Santo de Israel.
Ao cantar-Vos, os meus lábios exultarão de alegria *
e também a minha alma que resgatastes.
Até a minha língua, dia após dia, *
celebrará a vossa justiça,
porque se cobriram de vergonha e de ignomínia *
os que procuravam a minha ruína.

Ant. No tempo da minha velhice, não me abandoneis, Senhor.

Tércia

LEITURA BREVE 2 Cor 13, 11
Irmãos, vivei com alegria; trabalhai pela vossa perfeição; animai-vos uns aos outros; tende os mesmos sentimentos; vivei em paz. E o Deus do amor e da paz estará convosco.

V. Os olhos do Senhor estão voltados para o justo
R. E os ouvidos atentos ao seu grito.

Oração

Deus, nosso Pai, que confiastes aos homens o dever do trabalho, para que, colaborando uns com os outros, conseguissem sucessos cada vez maiores, ajudai-nos a viver de tal modo no meio das nossas actividades, que nos sintamos sempre filhos vossos e irmãos de todos os homens. Por Nosso Senhor.

Sexta

LEITURA BREVE Rom 6, 22
Libertos do pecado e tornados servos de Deus, tendes como fruto a santidade e como fim a vida eterna.

V. Vós, Senhor, voltareis a dar-nos a vida,
R. Para que o vosso povo se alegre em Vós.

Oração

Senhor da vinha e da messe, que repartis as tarefas e dais o verdadeiro salário, ajudai-nos a levar o peso do dia e do calor, sem nunca nos queixarmos da vossa vontade. Por Nosso Senhor.

Noa

LEITURA BREVE Col 1, 21-22
Outrora éreis estranhos a Deus e na vossa mente seus inimigos pelas vossas más acções. Mas agora Deus reconciliou-vos consigo pela morte de Cristo no seu Corpo de carne, para vos apresentar diante d’Ele santos, puros e irrepreensíveis.

V. Cantai salmos ao Senhor, vós os seus fiéis,
R. E dai graças ao seu nome santo.

Oração

Senhor, que nos reunistes na vossa presença à mesma hora em que os Apóstolos subiam ao templo para orar, ouvi as súplicas que Vos dirigimos em nome de Cristo e concedei a salvação a quantos O invocam. Por Nosso Senhor.

V.  Bendigamos o Senhor.
R.  Graças a Deus.