Em seu segundo dia, o I Congresso da Família Salvatoriana, começou com o momento de espiritualidade conduzido pela Irmãs Salvatorianas -Província São Paulo. Logo após, o Superior Geral dos Salvatorianos, Pe. Milton Zonta proferiu sua conferência intitulada “Conhecer o Salvador e torná-lo conhecido! A bússola que norteia o apostolado salvatoriano”. Ele durante a sua explanação propôs ao grupo a refletir sobre o apostolado salvatoriano tendo presente os sinais dos tempos que nos movem a empreender iniciativas apostólicas criativas e corajosas que melhor expressam o carisma salvatoriano.

Na sua colocação Pe. Milton destacou três pontos norteadores que a Família Salvatoriana necessita redescobrir e revigorar que são: Visão apostólica do padre Francisco Jordan; Núcleo identitário do Carisma e Perspectivas de transformação apostólica. Ainda em seu pronunciamento Pe. Milton Zonta ressaltou que “a Família Salvatoriana está chamada a testemunhar uma vida de fé movida pela mística do caminhar juntos como homens e mulheres com decidido esforço de construir comunhão em caminho”.

Durante sua fala ele fez diferentes interpelações apostólicas a Família Salvatoriana reunida – convocando-a a uma novo impulso carismático-missionário; o encontrar Cristo no rostos dos pobres; o empenho na formação de apóstolos-cristãos; a mística do caminhar juntos e estarmos enrizados nas palavras e gestos de Jesus Cristo.

Por fim, Pe. Milton nos interpela para “não nos deixemos roubar a autenticidade apostólica de fazer com que as palavras e os gestos formem uma unidade plena, sem separar o discurso da ação. Isto é, sermos salvatorianos/as testemunhas-sinal que, com as palavras e a força dos gestos, ajudam outros a conhecerem e caminharem com Jesus Cristo”.

Na sequência, foi lida a mensagem da Srª Judy Davis, Presidente da Comunidade Internacional do Divino Salvador ao I Congresso da Família Salvatoriana do Brasil. A mensagem foi lida por Merli Callef. Em sua mensagem, Judy expressa que “vivemos em um mundo que precisa de nós; pertencemos a uma Igreja que precisa do Carisma Salvatoriano para estar presente e vivo nos lares, nas paróquias, hospitais, ruas, nos locais de trabalho, nas favelas e mansões e em todas as regiões do mundo”.

Após a leitura da mensagem  os congressista puderam fazer o contato direto com a Judy Davis (via Skype de Tennessee /Estados Unidos). Neste contato, todos acolheram com uma emocionada salva de palmas, o contato com a palestrante foi em Inglês e traduzido por Ir. Isabel Tooda. “A qualquer momento que os grupos se reúnem meu coração se rejubila. Sei que Padre Jordan e Madre Maria estão conosco neste momento. E ao mesmo tempo, quando estamos reunidos nós nos fortalecemos mutuamente”, falou a todos Judy. Os congressistas a homenagearam com o Hino Salvatoriano.

Na parte da tarde, os congressistas participaram de Mini Plenários dos ramos da Família Salvatoriana Padres, Irmãos; Irmãs e Leigos Salvatorianos, neste momento também reuniram-se os colaboradores e visitantes. A partir das provocações das conferências, foram convidados a escolher duas prioridades (uma a nível interno e outra a nível externo) a serem desenvolvidas e implementadas pela Família Salvatoriana no Brasil. Em um ambiente de unidade e comunhão todos partilharam as prioridades e justificativas de cada Mini Plenário da Família Salvatoriana.

O fim da tarde culminou com a Santa Missa presidida pelo Pe. Milton Zonta, superior dos Salvatorianos. Foi um momento de Ação de Graças, de fortalecer a nossa relação com o Senhor e renovar a fé.

Finalizamos o segundo dia, com uma mesa redonda que contou com a participação de 20 congressistas em um diálogo intergeracional com partilhas de experiências salvatorianas. Participaram: Ir. Cláudia, Ir. Maura, Ir. Celeste, Ricardo, Pe. Spolti, Ir. Eleudiane, Sra Cida, Sr. Vitalino, Ir. Jéssica, Pe. Silvino, Post. Carlos Alberto, Pe. James, Jn. Ivan (Colômbia), Leonilda, Ir. Maris, Ir. Ema, Falchetti, Samuel e Ana Falchetti. Este momento rico de diálogo e partilha de experiências foi coordenada pela Ir. Dulcelene Ceccato.

 

Outros virão e lembrados de nossos sofrimentos, continuarão a obra.” Padre Jordan