V.  Abri, Senhor, os meus lábios
R.  E a minha boca anunciará o vosso louvor.

Ant. Vamos à presença do Senhor e dêmos glória ao seu nome.

Salmo 94 (95)
Convite ao louvor de Deus

Exortai-vos cada dia uns aos outros,
até ao dia que se chama «Hoje» (Hebr 3, 13).

Vinde, exultemos de alegria no Senhor,
aclamemos a Deus, nosso Salvador.
Vamos à sua presença e dêmos graças,
ao som de cânticos aclamemos o Senhor. (Ant.)

Pois grande Deus é o Senhor,
Rei maior que todos os deuses.
Em sua mão estão as profundezas da terra
e pertencem-Lhe os cimos das montanhas.
D’Ele é o mar, foi Ele quem o fez,
d’Ele é a terra firme, que suas mãos formaram. (Ant.)

Vinde, prostremo-nos em terra,
adoremos o Senhor que nos criou.
Pois Ele é o nosso Deus
e nós o seu povo, ovelhas do seu rebanho. (Ant.)

Quem dera ouvísseis hoje a sua voz:
«Não endureçais os vossos corações,
como em Meriba, como no dia de Massa no deserto,
onde vossos pais Me tentaram e provocaram,
apesar de terem visto as minhas obras. (Ant.)

Durante quarenta anos essa geração Me desgostou,
e Eu disse: É um povo de coração transviado,
que não atinou com os meus caminhos.
Por isso jurei na minha ira:
Não entrarão no meu repouso». (Ant.)

Glória ao Pai e ao Filho
e ao Espírito Santo,
como era no princípio,
agora e sempre. Amen. (Ant.)

Se antes das Laudes já se disse o Ofício de Leitura, começa-se com a invocação inicial comum em todas as Horas:

V. Deus, vinde em nosso auxílio.
R. Senhor, socorrei-nos e salvai-nos.

Glória ao Pai e ao Filho
e ao Espírito Santo,
como era no princípio,
agora e sempre. Amen. Aleluia.

HINO

Eterno Criador do Universo,
Tu que reges a noite mais o dia
E que os tempos alternas com os tempos
A fim de não haver monotonia!

Já soa a voz do arauto matutino
Que da noite profunda é sentinela
E que, da noite a noite dividindo,
Vai dando ao caminhante luz na treva.

A seu canto acordando, anjos da luz
Liberam todo o céu da escuridade,
E em coro até as almas mais escuras
Abandonam as vias do pecado.

A seu canto se anima o navegante,
Aplacam-se no mar as próprias vagas;
E lavam-se da culpa as almas crentes
Como Pedro nas lágrimas choradas.

Ergamo-nos portanto já sem medo;
O galo faz erguer quem está deitado:
Increpa brandamente os sonolentos
E rudemente acusa os renegados.

A seu canto reaviva-se a esperança,
A saúde aos enfermos já retorna;
Nova alegria a alma nos levanta
E a vida em cada peito se renova.

Senhor Jesus, protege os vacilantes,
Sustém-nos com a força dos teus olhos,
E redime com a tua vigilância
A culpa que no pranto se dissolve.

Refulgente aos sentidos, és a luz
Que vens da mente o sono dissipar-nos.
Por Ti ressoa sempre a nossa voz,
Por Ti soltam-se enfim os nossos lábios.

Louvor e glória a Deus, Pai de bondade,
Por Jesus Cristo, o Filho Unigénito,
Com o Espírito Santo, aos dois igual,
Agora e pelos séculos dos séculos.

SALMODIA

Ant. 1  Felizes os que moram na vossa casa, Senhor.

Salmo 83 (84)
A caminho do templo do Senhor

Não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura (Hebr 13, 14).

Como é agradável a vossa morada, *
Senhor dos Exércitos!

A minha alma suspira ansiosamente *
pelos átrios do Senhor.
O meu coração e a minha carne *
exultam no Deus vivo.

Até as aves do céu encontram abrigo *
e as andorinhas um ninho para os seus filhos,
junto dos vossos altares, Senhor dos Exércitos, *
meu Rei e meu Deus.

Felizes os que moram em vossa casa: *
podem louvar-Vos continuamente.
Felizes os que em Vós encontram a sua força, *
os que trazem no coração os caminhos do santuário.

Ao atravessar o vale seco, transformam-no em oásis, *
que logo as primeiras chuvas cobrirão de bênçãos.
Vão caminhando com entusiasmo crescente, *
até verem Deus em Sião.

Senhor Deus dos Exércitos, ouvi a minha prece, *
prestai-me ouvidos, ó Deus de Jacob.
Contemplai, ó Deus, nosso protector, *
ponde os olhos no rosto do vosso ungido.

um dia em vossos átrios *
vale por mais de mil.
Antes quero ficar no vestíbulo da casa do meu Deus *
do que habitar nas tendas dos pecadores.

Porque o Senhor Deus é sol e escudo, *
Ele dá a graça e a glória.
O Senhor não recusa os seus bens *
aos que procedem com rectidão.

Senhor dos Exércitos, *
feliz o homem que em Vós confia!

Ant. Felizes os que moram na vossa casa, Senhor.

Ant. 2 Vinde, subamos ao monte do Senhor.

Cântico  Is 2, 2-5
No cimo dos montes, o monte da casa do Senhor

Todos os povos virão prostrar­se diante de Vós (Ap 15, 4).

Sucederá nos dias que hão-de vir *
que o monte do templo do Senhor
se há-de erguer no cimo das montanhas *
e se elevará no alto das colinas.

Ali afluirão todas as nações *
e muitos povos acorrerão, dizendo:
«Vinde, subamos ao monte do Senhor, *
ao templo do Deus de Jacob.

Ele nos ensinará os seus caminhos, *
e nós andaremos pelas suas veredas.
De Sião há-de vir a lei *
e de Jerusalém a palavra do Senhor».

Ele será juiz no meio das nações *
e árbitro de povos sem número.
Das espadas farão relhas de arado *
e das lanças forjarão foices.

Não levantará a espada nação contra nação, *
nem mais se hão-de preparar para a guerra.
Vinde, ó casa de Jacob: *
caminhemos à luz do Senhor.

Ant. Vinde, subamos ao monte do Senhor.

Ant. 3 Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome.

Salmo 95 (96)
Deus, Rei e Juiz do universo

Cantavam um cântico novo diante do trono,
na presença do Cordeiro (Ap 14, 3).

Cantai ao Senhor um cântico novo, *
cantai ao Senhor, terra inteira.
Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome, *
anunciai dia a dia a sua salvação.

Publicai entre as nações a sua glória, *
em todos os povos as suas maravilhas.
O Senhor é grande e digno de louvor, *
mais temível que todos os deuses.

Os deuses dos gentios não passam de ídolos, *
foi o Senhor quem fez os céus.
Diante d’Ele, a honra e a majestade, *
no seu templo, o poder e o esplendor.

Dai ao Senhor, ó família dos povos, *
dai ao Senhor glória e poder.
Dai ao Senhor a glória do seu nome, *
levai-Lhe oferendas e entrai nos seus átrios.

Adorai o Senhor com ornamentos sagrados, *
trema diante d’Ele a terra inteira.
Dizei entre as nações: «O Senhor é Rei». *
Sustenta o mundo e ele não vacila, †
governa os povos com equidade.

Alegrem-se os céus, exulte a terra, *
ressoe o mar e tudo o que ele contém,
exultem os campos e quanto neles existe, *
alegrem-se as árvores dos bosques,

Diante do Senhor que vem, *
que vem para julgar a terra:
Julgará o mundo com justiça *
e os povos com fidelidade.

Ant. Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome.

LEITURA BREVE Tg 2, 12-13
Falai e procedei como pessoas que devem ser julgadas segundo a lei da liberdade. Porque o juízo será sem misericórdia para quem não usou de misericórdia. Mas a misericórdia triunfa do juízo.

RESPONSÓRIO BREVE
V. Bendito seja o Senhor, agora e para sempre.
R. Bendito seja o Senhor, agora e para sempre.
V. Só Ele faz maravilhas.
R. Agora e para sempre.
V. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.
R. Bendito seja o Senhor, agora e para sempre.

CÂNTICO EVANGÉLICO (Benedictus) Lc 1, 68-79

Ant. Bendito seja o Senhor, nosso Deus.

Cântico
O Messias e seu Precursor

Bendito o Senhor Deus de Israel, *
que visitou e redimiu o seu povo
e nos deu um Salvador poderoso *
na casa de David, seu servo,
conforme prometeu pela boca dos seus santos, *
os profetas dos tempos antigos,

para nos libertar dos nossos inimigos *
e das mãos daqueles que nos odeiam,
para mostrar a sua misericórdia a favor dos nossos pais, *
recordando a sua sagrada aliança
e o juramento que fizera a Abraão, nosso pai, *
que nos havia de conceder esta graça:

de O servirmos um dia, sem temor, *
livres das mãos dos nossos inimigos,
em santidade e justiça, na sua presença, *
todos os dias da nossa vida.

E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, *
porque irás à sua frente a preparar os seus caminhos,
para dar a conhecer ao seu povo a salvação *
pela remissão dos seus pecados,

graças ao coração misericordioso do nosso Deus, *
que das alturas nos visita como sol nascente,
para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte *
e dirigir os nossos passos no caminho da paz.

Glória ao Pai e ao Filho
e ao Espírito Santo, *
como era no princípio,
agora e sempre. Amen.

Ant. Bendito seja o Senhor, nosso Deus.

PRECES

Invoquemos a Deus Pai, que colocou os homens no mundo para que trabalhassem em harmonia para a sua glória, e peçamos com insistência:

Para louvor da vossa glória, ouvi-nos, Senhor.

Deus, Criador do universo, nós Vos bendizemos
 pelos benefícios que nos tendes concedido e pela vida que nos conservastes até este dia.

Olhai benignamente para nós, ao iniciarmos o trabalho deste dia,
 e ajudai-nos a colaborar na vossa obra, agindo segundo a vossa vontade.

Concedei que o nosso trabalho de hoje aproveite aos nossos irmãos
 e todos juntos edifiquemos um mundo mais agradável a vossos olhos.

A nós e a todos os que neste dia se encontrarem connosco
 concedei a alegria e a paz.

Pai nosso

Oração

Senhor Deus, Rei do céu e da terra, dirigi e santificai neste dia os nossos sentimentos, palavras e obras segundo os vossos mandamentos, a fim de alcançarmos, com a vossa ajuda, a salvação e a liberdade eternas. Por Nosso Senhor.

V. O Senhor nos abençoe,
nos livre de todo o mal
e nos conduza à vida eterna.
R. Amen.